quarta-feira, 8 de julho de 2009

O Bem com o Bem se paga

Certo dia uma onça
passeava numa trilha,
quando então se distraiu
e caiu numa armadilha.

Foi aí que um caipira
pela trilha veio andando,
e encontrou lá no buraco
Dona Onça esperneando.

O caipira chegou perto
e agachou-se pra espiar.
Dona Onça, vendo o homem,
pôs-se logo a implorar:

- Ai, seu moço, me ajude
a sair desta enrascada
Me arranje um cipó grande,
uma corda ou uma escada!

O caipira tão bondoso,
vendo a onça em desespero,
procurou uma maneira
de salvá-la bem ligeiro.

Encontrando um cipó forte,
atirou bem lá no fundo,
e então puxou a onça
do buraco, num segundo.

Mas a onça ao ver-se livre
tratou logo de agarrar
o caipira inocente
pra comê-lo no jantar.

O coitado implorou
com a cara apavorada:
- Fiz o bem para você
e o bem com o bem se paga.

Ao ouvir aquilo, a onça
refletiu por um minuto,
e então deu uma chance
ao coitado do matuto.

- Está bem, posso soltá-lo,
mas com uma condição:
encontrarmos mais alguém
com a mesma opinião.

Nesse instante, um velho touro
perto deles foi chegando.
Vendo o bicho, a onça esperta
já foi logo perguntando:

- Qual a sua opinião,
Senhor Touro? Diga lá?
Para o bem se dá o bem,
ou o mal é o que se dá?

- Trabalhei e fiz o bem
pro meu dono - desse o touro.
- Mas o ingrato agora quer
me mandar pro matadouro.

- Isso prova - disse a onça -
que ao bem se dá o mal!
Pois então vou devorá-lo
bem cozido em água e sal!

Mas não é que um amacaco,
escondido ali pertinho,
ssistindo a tudo aquilo,
bancou logo o espertinho

Foi chegando e já dizendo,
como um ar bem natural:
- Eu não sei se o bem se paga
com o bem ou com o mal!

- Mas duvido que esse moço
bem franzino e muito fraco
teve forças pra tirar
a senhora do buraco.

- Se a madame me provar
que foi salva pelo moço,
me ofereço, de bom grado,
pra servir-lhe de almoço.

Dono Onça, ouvindo aquilo,
a lamber-se respondeu:
- Vou mostrar-lhe agora mesmo
como tudo aconteceu!

E pulou, bem satisfeita,
lá pro fundo do buraco,
já pensando em ter no almoço
um assado de macaco.

Só que dessa vez não veio
um cipó para salvá-la.
Em vez dele veio um grito
que ecoou dentro da vala.

Era o grito do macaco
pondo fim a esta história
que mostrou que contra o mal
sempre o bem tem a vitória.

- Fique aí, onça malvada,
sem almoço e sem jantar!
Pois é certo que pro bem
só o bem pode-se dar.


Edgard Romanelli
Gosto muito dessa história.

6 comentários:

  1. Tbm gostei um bocado dessa história.
    Aprendi há pouco tempo que nada podemos esperar qd fazemos o bem verdadeiramente, de coração.
    Acho que é bem essa história. Pois o bem com o bem se paga.

    =)

    ResponderExcluir
  2. otimo esse livro parabens

    ResponderExcluir
  3. livro que estou estudando em teatro
    entre o bem e o mal "sempre o bem tem a vitoria"

    ResponderExcluir